30 jan/14

Farofa no programa Ponto e Vírgula

postado por Diogo Branco

Hoje, o programa ''Ponto e Vírgula'' (TVRP - Canal 9 NET) , apresentado por Irene Coimbra, recebeu os integrantes do Farofa Cultural.
Durante o primeiro bloco do programa, os farofeiros Diogo Branco e Mateus Barbassa puderam explicar a origem do site, e divulgaram seus quadros, como o polêmico ''Apertando o Calo''.



No segundo bloco do programa, a farofeira Cristiane Framartino Bezerra divulgou seu livro ''O menino e o mistério do arco-íris'', e comentou sobre a sua participação no Farofa.



O programa ''Ponto e Vírgula'', que em breve estará disponível no youtube, será reprisado nas seguintes datas:

Quarta-feira às 23h30
Quinta-feira às 21h30
Sexta-feira às 22h30
Sábado às 16h30
Domingo às 17h30

Não perca !

30 jan/14

Nhoque da Fortuna !

postado por Diogo Branco

No último dia 29, uma noite especial e memorável invadiu o Bar do Val, em Ribeirão Preto.
O evento, chamado ''Nhoque da Fortuna'', organizado pela pianista Thaís Costa, tornou-se um divertido encontro entre amigos.
Os nhoques foram preparados pela própria Thaís Costa, que fez questão de ensinar a famosa simpatia de sorte que deu nome ao evento: Cada participante deveria deixar uma nota qualquer de dinheiro sob o prato de nhoque, e depois era convidado a separar, no prato, sete nhoques, atribuindo a cada um deles um desejo diferente. Feito isso, o participante deveria comê-los em pé, concentradamente. O dinheiro colocado sob o prato deve ser guardado até o próximo dia 29, para garantir a fortuna.







A pianista Thaís Costa, organizadora do evento.

O músico João Chaím







As amigas Marília Castelo Branco e Paula Schimidt

Diogo Branco
Os músicos Thaís Costa, João Chaím e Diogo Branco com a escritora Cristiane Framartino Bezerra




Conta a lenda que São Pantaleão, num certo dia 29 de Dezembro, vestido de andarilho, perambulava por um vilarejo da Itália. Faminto, bateu a porta de uma casa e pediu comida. A família era grande e tinha pouca comida, mas apesar disso eles não se importaram em dividir o seu nhoque com o andarilho, cabendo a cada um sete massinhas. São Pantaleão comeu, agradeceu a acolhida e se foi. Quando foram recolher os pratos, descobriram que embaixo de cada um havia bastante dinheiro.





29 jan/14

Mexendo o doce

postado por Cristiane Bezerra

E porque estamos no “Farofa Cultural”, não tem como fugir da cozinha! Não sei as outras pessoas. Mas lá em casa, tudo acaba na cozinha. Até mesmo quando organizamos uma festa e espalhamos mesas e cadeiras pelo quintal, há sempre o grupo dos mais chegados, que fica por lá. Parece que o anjo do lar passa mais tempo naquele lugar. Questão de gosto, talvez, afinidade. Pensando na cozinha, na farofa, que, aliás, a Catarina sabe fazer uma como ninguém, acabei lembrando dos doces feitos em tachos, com colher de pau e que precisa mexido sem parar. “Mexer o doce”! Acho que é bem isto que viemos fazer aqui. De vez em quando, o termo vem à baila. Especialmente, quando queremos dar impulso a uma atividade, a um fazer interessante qualquer. Tanto quanto o brigadeiro, doce de leite ou outro qualquer, há o tempo certo de cozimento. De mais ou de menos... E tudo desanda. Assim é quando resolvemos mexer o doce da vida. Há que se ter concentração a cada valsar da colher de pau na panela. Há que se ter foco para o que se pretende. A regra culinária é tão ampla... E tão parecida com as outras regras essenciais da existência. Impulso às remadas do barco, saber a exata direção a que se destina. A quantidade certa de água e adubo pra semente florescer. Por aqui, pretendemos mexer o doce da cultura, da filosofia, de generalidades, falar dos assuntos que muita gente evita, como política, futebol, religião, ego, melindre, vaidades, mentiras e até morte. Pretendemos fazer uma farofa eclética, por vezes doce, por vezes, um pouco mais apimentada. Muito provocante, sempre! Despertando os sentidos da alma e a vontade de ser como um viajante sonhador! Um pouco louco, um pouco crítico, um pouco meigo, um pouco ousado! Nunca morno! Isto, o Farofa Cultural não será jamais! Então... Que tal vir “mexer o doce” com a gente?

Cristiane Framartino Bezerra
Escritora, Historiadora, Angelóloga

29 jan/14

Os girassóis de Van Gogh

postado por Diogo Branco

Lado a lado pela primeira vez em 65 anos, duas telas de girassóis, de Vicent Van Gogh estão espostas em Londres, até o dia 27 de Abril.
''Você é praticamente nocauteado por tanta cor e energia !'', exclama o curador Christopher Riopelle, durante a fantástica exposição.



Van Gogh, foi um pintor pós impressionista, frequentemente considerado o mais importante de todos os tempos.Sua vida foi marcada por fracassos. Ele falhou em tudo o que era considerado importante para a sua época: Foi incapaz de constituir família, custear a própria subsistência ou até mesmo manter contatos sociais. Aos 37 anos, sucumbiu uma doença mental e cometeu suicídio.
Veja algumas das principais obras deste imporante artista:

''A Noite Estrelada'' (1889)


''A Vinha Encarnada'' (1890)


''Natureza Morta com Absinto'' (1887)


''A Italiana''  (1887)


''Trigal com corvos'' (1890)


''Jardim de Hortas'' (1888)


''O Semeador'' (1888)
O Semeador

''A Sesta'' (1890)


''O Café à Noite na Place Lamartine'' ( 1888 ) 





28 jan/14

Lançamento do filme ''Patrícia''

postado por Diogo Branco

No próximo dia 30 de janeiro,às 19h30, no Cine Cauim, Ribeirão Preto terá seu primeiro longa-metragem produzido na cidade.
O filme "Patrícia" é dirigido por Alexandre Carlomagno, tem produção de Milena Maganin e apoio cultural da Secretaria de Cultura de Ribeirão Preto e do Museu de Imagem e Som de Ribeirão Preto. A exibição será seguida de um coquetel para os presentes, convidados e parceiros.
O Farofa Cultural estará presente nesse evento, e você não pode perder.


27 jan/14

Apertando o Calo - Redes Sociais, Amor e outros sentimentos

postado por Diogo Branco

O quadro ''Apertando o Calo'', idealizado pela farofeira Cris Bezerra, tem como objetivo o debate dos mais variados temas.
Neste primeiro episódio, os temas serão ''Redes Sociais'', e ''Amor e outros sentimentos''.
Experimente :





24 jan/14

Crítica do filme ''Um estranho no lago'' por Mateus Barbassa

postado por Mateus Barbassa

" - O que você procura realmente?
- Temos de procurar por algo?"
 
"L'Inconnu du Lac" (Um Estranho no Lago) é um filme totalmente despido de artifícios. Ele não se oferece ao espectador. Pelo contrário. É um ballet de encontros e desencontros sexuais. Nada mais que isso. Sim. Aos poucos e bem sorrateiramente, detalhes outros são adicionados ao enredo. É preciso paciência. Jeito. Caminhar devagar para não cair em nenhuma armadilha. Como uma caça. Sim. O Filme é uma caçada. Metaforicamente e também não. Eu explico. O filme se passa num tranquilo lago onde homens praticam nudismo e sexo eventual com parceiros vários. O lago é um lugar bucólico e aparentemente inofensivo. Até que acontece um crime. Stop. Antes preciso falar sobre os três personagens principais do enredo:

Franck, um jovem que desperta desejos nos homens mais velhos, mas que só tem olhos para Michel, que é o protótipo do “bofe”; bonito, sarado, bronzeado. Michel tem um namoradinho, mas dá umas flertadas com Franck. O terceiro personagem é Henri, um senhor gordo e solitário, que freqüenta o lago apenas para contemplação; ele não flerta, não fica nu, nada. Esses três personagens permanecerão autônomos em seus desejos até que acontece o tal crime. O diretor não faz suspense. Michel mata o namoradinho afogado. Franck, por acaso, vê o crime acontecendo, mas nada faz. Ou faz. Ele se envolve cada vez mais por Michel, vivendo aventuras sexuais com ele, ao mesmo tempo em que fortalece os laços de amizade com Henri. O filme transita entre duas linhas mestras: Tesão versus Tensão. Como já disse é preciso paciência. Não é um filme óbvio. Seu enredo é feito de repetições, de espera, de silêncio e sexo, muito sexo. O pensador francês Jean Baudrillard apresenta a chave perfeita para a compreensão do filme:

”Hoje tudo está liberado, o jogo já está feito e encontramo-nos coletivamente diante da pergunta crucial: O QUE FAZER APÓS A ORGIA?”
 
Sim. Resta-nos apenas a simulação da orgia, o fingimento. Talvez seja o personagem Henri quem mais enxergue o seu próprio tempo. Daí, ele ser aparentemente o mais triste, o mais solitário. Talvez, ele enxergue as coisas por um outro lado. Sempre tem o outro lado. A tal da paralaxe. Talvez, Henri se recuse a mentir. Ou talvez, ele aceite o estado de simulação em que só se é possível repetir todas as coisas, porque elas já aconteceram. De qualquer forma, Henri traz o desconforto. Ele é o incomum. O diferente. O Estranho. Mas talvez caia na sua própria cilada ao se aproximar e estabelecer uma amizade particular com Franck. Henri também deseja. Mas até seu desejo é incomum, diferente e estranho. Sem tecer grandes filosofias, o filme toca num tema bastante interessante; o sexo como elemento perturbador de uma amizade. A conversa entre Franck e Henri é sempre corriqueira, mas, sempre acrescida de um imenso afeto que brota entre aqueles dois. Henri, talvez por ser mais velho, saiba que onde o sexo está em toda parte, ele não está em lugar nenhum. Há uma melancolia encantadora nesse personagem. Ele é o alerta. Ele é o sintoma ou a própria doença de uma civilização cada vez mais doentia. Já Franck é o retrato de uma sexualidade cada vez mais sem rosto, exemplarmente mostrado na metonímica cena final do filme.  

O cartaz do filme ''Um estranho no lago''



23 jan/14

Do verbo OUSAR

postado por Diogo Branco

Eu sou uma mistura e tenho orgulho disso. Fujo de rótulos e regras.
Sempre fui assim, e aí de quem tentar moldar meu jeito feliz de ser.
Porque eu não sou de levar desaforo pra casa, eu peito mesmo e quero sempre a personagem principal.
Sou assim: cheia de personalidade. Sou sensível até não caber mais em mim.
Defendo a seguinte teoria: tem lugar pra todos. Eu só não sei se todos tem coragem de colocar a cara a tapa, de sair do casulo. Aí, meu bem já não é comigo, é contigo.
Olha, eu estou realizada demais. Sim, me deu um certo medo de me lançar como entrevistadora. Mas agora está tudo tranquilo, o aprendizado é constante para quem se entrega.
Para quem fica escondido esperando uma falha, eu digo: o tempo não perdoa quem não faz o que tem vontade por medo da opinião dos outros.
Aqui no meu quarto tem de tudo: de música sertaneja a jazz. Filmes de comédia até documentários dos cineastas mais consagrados do cinema Europeu. E tem muitos Deuses e Deusas que me protegem.
Livros de mulherzinha até Schopenhauer.
Ah, e tem o MEU livro de crônicas “ Adorável Pecadora “, fruto do meu dinheiro, da minha incansável ousadia.
Quando vou ao Shopping, fico a maior parte do tempo nas livrarias e nos cafés. Depois cinema. Aí já viu, né ? Gastei tudo com livros, café expresso e a sétima arte.
Um dia eu vou ficar rica, e comprar uma casa com um jardim enorme e todos as noites conversarei com as estrelas sentindo cheirinho da minha arruda.
E é claro que no teto do meu quarto, não faltará estrelas e na parede um quadro bem grande da Marilyn Monroe que eu ganhei da minha amiga.
Eu gosto de futebol também, canto o hino do meu time. Mas sem fanatismo, na medida certa. Respeitar o outro é uma atitude nobre ( poucos possuem ).
Não existe uma receita exata para a vida, o que existe é uma vontade imensa; e uma coragem que cresce mais do que fermento em pão.


 Juliana Sfair
Atriz e escritora.
 

22 jan/14

Momento Amoroso - Sohar Dahini

postado por Diogo Branco

Na estréia do quadro ''Momento Amoroso'', Sohar Dahini fala sobre a Associação Síndrome do Amor, e explica a função deste novo quadro dentro do Farofa Cultural.




22 jan/14

Participe do I Encontro de Novos Amorosos !

postado por Diogo Branco

O Farofa Cultural e a Associação Síndrome do Amor convidam você para um encontro muito especial :

21 jan/14

O Farofa na Mãe Dináh

postado por Diogo Branco

Eram sete horas da noite e eu, com a barriga rigorosamente vazia, me via trancado no banheiro do Espaço Café, prostrando diante da pia. Era o dia do lançamento do Farofa Cultural. Sem plateia e ainda assim com vergonha de mim mesmo, fechei os olhos e repeti algumas palavras de otimismo e coragem, como um mantra sagrado. Terminei com um ‘’Ah, Diogo, para de viadagem !!! ‘’ e saí do banheiro. Um rapaz, que escutou tudo aquilo do lado de fora, me perguntou se eu estava bem.
O começo é sempre assim: Há sempre um frio na barriga por não saber como será a repercussão bem como as opiniões alheias. Nem a mãe Dináh deve saber. Juro que pensei em procurar uma vidente, das boas - aquelas mais velhas com risada de bruxa , vários gatos por perto e turbante ( uniforme da profissão, sinto muito ) - mas não consegui encontrar nenhuma desse tipo. A única que eu achei  disse que traria meu amor em três dias e eu saí correndo. Se ela me trouxesse sexo sem compromisso, quem sabe ?! Ta faltando esse tipo de vidente no mercado de trabalho, inclusive. Nem no mercado livre achei. Não restando opções, consultei aquela que me garantiu: ’’ O Farofa Cultural transformará a vida das pessoas, e fará sucesso não apenas aqui em Ribeirão Preto, mas no mundo todo’’: Minha mãe.
Embora toda a insegurança do mundo tenha resolvido possuir meu corpitcho 1,70m, sinto um certo conforto por não estar sozinho nessa jornada. O elo e a sinergia entre os farofeiros estão bem fortes. E na pior das hipóteses, eu sigo com Jair Rodrigues cantando na minha cabeça: ''Deixa que digam, que pensem, que falem...'' 
Isso aí, Fé em Deus e pé na tábua.

PS: A parte do ''sexo sem compromisso'' é brincadeira, por favor não me cutuquem no face. Grato.

Diogo Branco é músico de buteco, casamentos e eventos corporativos . Apaixonado por todos os tipos de arte, Diogo já escreveu, produziu e dirigiu peças teatrais. Formou-se em Odontologia na UNESP e trabalha como cirurgião  – dentista nas horas vagas


 

21 jan/14

Canal no Youtube !

postado por Diogo Branco

Olá, querido farofeiro !
Você ainda não conhece o nosso canal do youtube ?
Nele, estão disponívels todos os vídeos produzidos pelo Farofa Cultural, e também vídeos repletos de poesia, sugestões de livros, e muito mais !

Confira abaixo o primeiro vídeo produzido para o Farofa Cultural, divulgado em Novembro de 2013.





20 jan/14

'Frente a Frente com a Loira' entrevista Shirley Viana.

postado por Diogo Branco

O quadro ''Frente a Frente com a Loira'' comandado pela escritora Juliana Sfair, tem como objetivo proporcionar a imersão cultural através de um descontraído bate-papo com artistas influentes de Ribeirão Preto.
A atriz Shirley Viana, primeira entrevistada do programa, fala um pouco sobre sua vida profissional, e analisa a influência do teatro em sua vida.
Além disso, Shirley divulga suas peças teatrais que estreiarão neste primeiro semestre em Ribeirão Preto.

Experimente:

17 jan/14

Lançamento oficial do Farofa Cultural

postado por Diogo Branco

No dia 16 de Janeiro de 2014, comemoramos o lançamento oficial do Farofa Cultural.
Amigos, artistas e imprensa se reuniram no Espaço Café, numa memorável noite com direito a um descontraído brinde especial.
Muitos contribuiram para que essa noite se tornasse tão especial: Panificadora Fiorela, SóFesta,  Empório Café, e o músico Mário Miranda.
Confira quem marcou presença neste badalado evento:
Os farofeiros Mateus Barbassa, Juliana Sfair, Diogo Branco e Cristiane Framartino Bezerra

Juliana Sfair e Diogo BrancoOs farofeiros Juliana Sfair e Diogo Branco

Juliana Sfair e amigosJuliana Sfair e amigos.

Juliana Sfair, Marília Castelo Branco, Cristiane Bezerra e Cris PaulinoJuliana Sfair, Marília Castelo Branco, Cristiane Bezerra e Cris Paulino

Amigos e artistas prestigiaram o lançamento do site.

Os integrantes do siteMateus Barbassa, Juliana Sfair, Diogo Branco e Cristiane Framartino Bezerra

A apresentadora Mara Cabral nas mãos dos quatro farofeiros !A apresentadora Mara Cabral sendo carregada pelos quatro integrantes do Farofa!

Mara Cabral ao lado do idealizador do Farofa Cultural, Diogo brancoMara Cabral ao lado do idealizador do Farofa Cultural, o músico Diogo Branco
O teatrólogo Mateus Barbassa em entrevista para o programa Stiluz, com Bia Pardini

Os integrantes do Farofa e a blogueira Vick Santana, do blog Vick News
Mara Senna e seu marido PauloA poeta Mara Senna e seu marigo Paulo também prestigiaram o evento.
Mário MirandaMário Miranda abrilhantou a noite com sua incrível musicalidade.
Rosa, Aline e SamiraAs amigas Rosa, Aline e Samira também prestigiaram o evento.
Atriz Shirley VianaA bela atriz Shirley Vianna.


16 jan/14

Quem faz o Farofa?

postado por Diogo Branco

PÁGINA EM MANUTENÇÃO!

Entre em contato com a equipe do Farofa Cultural pelo e-mail farofaculturalribeirao@gmail.com