30 abr/17

Dia das Mães é no Shopping Santa Úrsula

postado por Diogo Branco

Hoje vou dar uma dica para você que ainda não comprou seu presente do Dia Das Mães.
No Shopping Santa Ursula, você ganha uma caixa Kopinho Kopenhagen Clássicos 144g nas compras acima de R$ 300,00 e ainda participa do sorteio de um automóvel! 

Eu ganhei a tradicional e deliciosa caixa Kopinhos Kopenhagen e posso garantir que valeu muito a pena. São nove unidades com sabores sortidos  e super cremosos. 


Diogo Branco

Imperdível, né? E tem mais: você também ganha um cupom  para participar do sorteio de um Mitsubishi ASX MT, motor 2.0, modelo 2017, flex, completo, na cor sólida Prata. Imperdível! As mamães merecem, né?



Para participar da promoção, basta trocar as notas fiscais das compras realizadas nas lojas paricipantes do shopping, entre os dias 05 e 14 de maio. 
O regulamento e a lista das lojas participantes da promoção estarão disponíveis no balcão de trocas, localizado no Pátio Central, e no site do shopping, clicando aqui. O balcão de trocas funcionará de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 12h às 20h.

Faça como eu fiz !
Vá ao Shopping Santa Úrsula e garanta muita felicidade para sua mãe nesta data tão especial!



29 abr/17

Ivete Sangalo lança nova música com Mestrinho

postado por Diogo Branco

O cantor e sanfoneiro Mestrinho lançou nessa sexta-feira, 28,  o clipe da música "Serei pra Ti", com participação de Ivete Sangalo.



O sanfoneiro fez parte da gravação do DVD "Ivete Sangalo Acústico em Trancoso", e saiu em turnê com a baiana durante o ano de 2016.

26 abr/17

Sophie Charlotte com looks incríveis na minissérie "Os Dias Eram Assim"

postado por Beatriz Oliveira

O figurino da personagem da Sophie Charlotte na minissérie "Os Dias Eram Assim'' é cheio de tendências dos anos 70 e 80. Minissaia + bota de cano alto, jeans com jeans, calça boca de sino biquinis de crochê e estampas florais. Quem aí também é apaixonado por esses looks?

Veja mais looks da Sophie Charlotte em nosso insta @farofacultural







25 abr/17

Madonna ganhará cinebiografia produzida pelos estúdios Universal

postado por Diogo Branco

A diva pop Madonna vai virar filme produzido pelos estúdios Universal. A informação veio do site da revista "The Hollywood Reporter" , dizendo que a cinebiografia será baseada em "Blonde Ambition", de Elyse Hollander. 



"Blonde Ambition" entrou na Black List de Hollywood - lista das melhores histórias não produzidas do ano. A história começa no início dos anos 80, em NY, quando a então iniciante Madonna conseguiu um primeiro contrato com uma gravadora e começou a trabalhar em seu álbum de estreia.

A produção do filme será de Michael de Luca, que produziu filmes como "Cinquenta Tons de Cinza", e Brett Ratner.

O projeto ainda não escalou diretor, nem elenco, mas certamente já está deixando muita gente ansiosa para assisti-lo.





25 abr/17

Sábado é dia de rock nacional no Milwaukee

postado por Diogo Branco

Banda Deck 66 se apresenta neste sábado (29) e faz um especial do rock nacional dos anos 90 e 2000



Neste sábado (29) o rock de origem brasileira vai invadir o Milwaukee American Bar, de Ribeirão Preto. A banda Deck 66 volta ao palco principal da casa trazendo o show especial “Rock Nacional anos 90 e 2000”, que conta com um repertório de grandes nomes da música brasileira. A abertura da noite será por conta da banda Hermanos 90. O valor de entrada é R$ 5,00 (unissex) até às 20 horas, após esse horário será R$ 25,00 (homens) e R$ 20,00 (mulheres).
 
Formada há mais de cinco anos, a Deck 66 é composta por Guilherme Anzolin (guitarra e voz), Filipe Okano (baixo e voz) e Lucas Dias (bateria e voz). Para o show deste sábado a banda promete trazer muita energia e um repertório único que presta um tributo aos grandes ícones do rock nacional que influenciaram não só os integrantes da banda, mas toda uma geração de brasileiros.
 
Milwaukee American Bar
Está localizado nas dependências da concessionária Harley-Davidson, em Ribeirão Preto. Foi inaugurado em outubro de 2014 e já é referência na cidade no quesito entretenimento, boa gastronomia e rock´ n’ roll, além de ser considerado o único grande american bar do mundo dentro de um complexo Harley Davidson. O bar tem capacidade para atender cerca de 550 pessoas e foi planejado para atrair públicos de diversas faixas etárias – entre jovens e famílias – que procuram em um bar-restaurante o melhor do rock, do jazz e do blues, além da gastronomia americana, chope gelado e diversos tipos de drinques e marcas de destilados. O espaço oferece dois palcos: um menor para apresentação da banda de abertura e o palco maior para grupos consagrados no cenário musical nacional e internacional. A programação do bar é extensa com apresentações diárias, exceto às segundas-feiras. O bar apresenta ainda um variado cardápio conceitual americano e diversos tipos de hambúrgueres, cachorros-quentes, batata-frita, saladas, massas e carnes.
 
ALMOÇO – a casa também abre para almoço aos sábados, domingos e feriados, das 12h às 16 horas. Oferece completo cardápio americano, além de espaço kids com monitores e opções de pratos infantis, com show de rock ao vivo.
 
Milwaukee American Bar
Endereço: Avenida Francisco Junqueira, 2843 (Ribeirão Preto Harley-Davidson) – Ribeirão Preto (SP)
Telefone: (16) 3289.6069 / 99627-1518
Fanpage: 
www.facebook.com/milwaukeeamericanbar
Horário de funcionamento: de terça a sábado – a partir das 18h (happy hour, jantar, bar e shows). Almoço, todos
sábados, domingos e feriados, a partir das 12h (almoço).
Valores: 3ª feira: R$ 8,00 (homem e mulher) / 4ª feira: R$ 10,00 (homem e mulher) / 5ª feira: R$ 12,00 (mulher) e 17,00 (homem) / sexta e sábado: das 18 às 20h - R$ 5,00 (homem e mulher), a partir das 20h - R$ 25,00 (homem) e R$ 20,00 (mulher). *Em shows especiais são cobrados outros valores.
Obs. Entrada livre de 3ª e 4ª feira, até às 20h30 e quinta e sexta até às 20h. *Excepcionalmente, quando se apresentam grandes nomes do cenário nacional ou internacional, a entrada livre não vigora


25 abr/17

Mercado de chopeiras inova e oferece modelos inusitados e personalizados

postado por Diogo Branco

O chope especialmente gelado pode ser servido em chopeiras com formato de guidão de moto ou instrumentos musicais, em casa ou nos bares e restaurantes

Para organizar uma festa especial ou impressionar nas reuniões familiares, a bebida é essencial. E, para quem aprecia um chope gelado em casa ou quer oferecer o produto com qualidade e estilo em seu estabelecimento comercial, o mercado de chopeiras oferece vários modelos que se destacam pela criatividade.

Basicamente, as choperias são vendidas em dois modelos. Um deles é a tradicional chopeira de bancada, que é a mais comum. Ela pode ser a gelo, mais simples, ou elétrica, que é difereciada pela quantidade de chope tirado por hora, 30, 40, 50, 70, 90 ou até 110 litros.

Por outro lado, existem as chopeiras de torre, em diversos e inusitados modelos. A campeã de vendas, neste formato, é a Naja, que representa 90% dos modelos vendidos para residências. Ela pode ter duas ou três torneiras e permite tirar dois tipos de chope, claro e escuro, por exemplo. O nome, peculiar, se refere ao modelo que lembra a serpente.

Aliás, no mercado atual há modelos bem inusitados. Seja em formato de instrumetos musicais, imitando um guidão de moto, ou com opções para personalização. Alguns modelos permitem inserir a foto da família ou logo do cliente.



“Nosso mais recente lançamento é a Bock Neon. A chopeira é iluminada por leds e foi apresentada ao público em março no Festival da Cerveja, que aconteceu em Blumenau”, ressalta Daniel Gonçalves, responsável pelo departamento de marketing da Memo.

Os apaixonados por chope podem, ainda, levar sua bebida preferida para qualquer lugar. Para isso, foi criada a mochila chopeira, que comporta até 10 litros da bebida. 



23 abr/17

Hebe Camargo - Biografia já está em pré-venda

postado por Diogo Branco

Hoje é o Dia Mundial do Livro, e nada melhor do que este dia para anunciar a pré-venda da biografia de Hebe Camargo.

Todo mundo sabe que Hebe Camargo foi e sempre será a maior apresentadora de todos os tempos. Ficou conhecida como "Rainha da Televisão Brasileira", e com todos os méritos. A estrela começou na rádio, como cantora, e depois foi convidada para a primeira transmissão ao vivo da televisão brasileira. E da televisão nunca mais saiu, até seu último programa, em 2012.

O livro, escrito pelo laureado jornalista Artur Xexéo, chega às livrarias na primeira semana de maio, mas já está com pré-venda na página do
Grupo Editorial Record, no facebook, ou no site da livraria Travessa 


22 abr/17

Oprah Winfrey estreia filme hoje a noite na HBO

postado por Diogo Branco

Como não amar Oprah Winfrey, né gente? Hoje ela estreia um filme na HBO, no qual interpreta uma mulher que ajudou a desenvolver terapias para combater doenças como o câncer e a aids.




Henrietta Lacks foi uma mulher que fez história, embora não tenha sido reconhecida. Sua história é valiosa especialmente para laboratórios farmacêuticos, pois, depois de falecer, teve suas células utilizadas para estudo. Ela nunca foi reconhecida por isso, e sua família nunca recebeu nenhum tipo de recompensa. Racismo é uma das temáticas da série. 

Estreia hoje na HBO, na madrugade de sábado para domingo :)


21 abr/17

Maluma divulga hoje novo clipe "Felices los 4''

postado por Diogo Branco

O colombiano Maluma divulgou nesta sexta o clipe da música "Felices los 4", onde interpreta um barman que, depois de servir um homem fiel, conhece a esposa dele, e acaba se envolvendo com ela.

Além da sensualidade, outro ponto forte do clipe é o ritmo em si. O reggaeton, presente na canção do colombiano, é o chamado "ritmo do momento", conquistando mais adeptos a cada dia.

Confira:




Maluma fará shows no Brasil nos dias 29/04, no Rio de Janeiro, e depois no dia 30/04 em São Paulo. Ele se apresentará junto com a cantora Anitta, com quem brilhou na música "Sim Ou Nao".

20 abr/17

In Natura alia gastronomia saudável e sabores inusitados

postado por Diogo Branco

O restaurante/empório oferece aos seus clientes pratos saudáveis, opções vegetarianas e veganas, preparados com ingredientes naturais e frescos.

A gastronomia é um dos grandes prazeres da vida. Porém, a rotina frenética obriga grande parte das pessoas a fazer as refeições fora de casa. Muitas vezes, as opções se repetem e acabam tornando este momento um ato automático e sem sabor. Pensando em devolver o prazer às refeições do dia-a-dia a nutricionista Carolina Poloni  e o advogado Mateus Araujo decidiram abrir um negócio que valorizasse uma alimentação saudável, com ingredientes selecionados e frescos. Esta é a proposta do restaurante e empório In Natura.


Os proprietários Carolina Poloni e Mateus Araujo. 


O restaurante criou seus cardápios pensando em proporcionar experiências saborosas, artesanais e naturais. Nenhum prato utiliza açúcar branco, por exemplo. O ingrediente é sempre substituído por açúcar demerara, mascavo ou mel. Na hora do almoço, são sempre duas opções renovadas diariamente. Entre os destaques está o canelone de abobrinha recheado com ricota, salada de bifum com shitake, quibe de carne com quinoa e estrogonofe de pupunha com shitake.


Quibe de carne com quinoa 


No local funciona um empório com diversas opções de produtos artesanais.



“Além de pensarmos em um local agradável para receber nossos clientes que chegam para fazer suas refeições, ou suas encomendas, nossos pratos também estão à disposição para quem deseja apenas comprar e levar, que é nossa proposta do conceito to grab and go, explica Carolina.
No café da manhã, o cardápio inclui iogurte natural, de fabricação própria, salada de frutas e pão de queijo de tapioca. Para o café da tarde há opções de bolos integrais e sucos naturais tradicionais, ou em deliciosas e inusitadas combinações, como melancia, gengibre e limão ou laranja com manga, por exemplo.


Quiche de tomate confit 


No local funciona um empório com diversas opções de produtos artesanais, como geleias, brownies, molho de tomate, pão de queijo de tapioca, iogurte natural com calda de frutas, ou pasta de amendoim e granola doce ou salgada. Os clientes encontram também picolés especiais de diversos sabores como blueberry, cacau com hortelã e limão com manjericão.


 
Serviço
In Natura
Avenida Independência, 3840 – Loja 19 (Independência Center Office/Mall)
(16) 3442-8687
@innaturarp

20 abr/17

Tributo a Red Hot Chili Peppers agita feriado de sexta no Milwaukee

postado por Diogo Branco

Banda cover Riber Hot Chili Preters se apresenta nesta sexta-feira (21) com sucessos do grupo norte-americano



Como já é de costume o Milwaukee American Bar, de Ribeirão Preto, preparou uma programação especial para agitar o feriado desta sexta-feira (21) com um tributo a Red Hot Chili Peppers. O palco principal da casa recebe novamente a banda cover Riber Hot Chili Preters, que traz um repertório repleto dos maiores clássicos do grupo original. A noite ainda terá abertura com o show da banda Dela Coustique.
 
A banda Riber Hot Chili Preters é formada em Ribeirão Preto e composta por Beto Braz, no baixo; Enio J. P. Soares, na bateria; Rafael Adorno, no vocal e Paulinho Zambianchi, na guitarra e no vocal. O grupo promete agitar a noite com grandes hits e toda a energia característica do grupo norte-americano.
 
Milwaukee American Bar
Está localizado nas dependências da concessionária Harley-Davidson, em Ribeirão Preto. Foi inaugurado em outubro de 2014 e já é referência na cidade no quesito entretenimento, boa gastronomia e rock´ n’ roll, além de ser considerado o único grande american bar do mundo dentro de um complexo Harley Davidson. O bar tem capacidade para atender cerca de 550 pessoas e foi planejado para atrair públicos de diversas faixas etárias – entre jovens e famílias – que procuram em um bar-restaurante o melhor do rock, do jazz e do blues, além da gastronomia americana, chope gelado e diversos tipos de drinques e marcas de destilados. O espaço oferece dois palcos: um menor para apresentação da banda de abertura e o palco maior para grupos consagrados no cenário musical nacional e internacional. A programação do bar é extensa com apresentações diárias, exceto às segundas-feiras. O bar apresenta ainda um variado cardápio conceitual americano e diversos tipos de hambúrgueres, cachorros-quentes, batata-frita, saladas, massas e carnes.
 
Milwaukee American Bar
Endereço: Avenida Francisco Junqueira, 2843 (Ribeirão Preto Harley-Davidson) – Ribeirão Preto (SP)
Telefone: (16) 3289.6069 / 99627-1518
Fanpage: 
www.facebook.com/milwaukeeamericanbar
Horário de funcionamento: de terça a sábado – a partir das 18h (happy hour, jantar, bar e shows). Todos os sábados, domingos e feriados, a partir das 12h (almoço).
Valores: 3ª feira: R$ 8,00 (homem e mulher) / 4ª feira: R$ 10,00 (homem e mulher) / 5ª feira: R$ 12,00 (mulher) e 17,00 (homem) / sexta e sábado: das 18 às 20h - R$ 5,00 (homem e mulher), a partir das 20h - R$ 25,00 (homem) e R$ 20,00 (mulher). *Em shows especiais são cobrados outros valores.
Obs. Entrada livre de 3ª e 4ª feira, até às 20h30 e quinta e sexta até às 20h. *Excepcionalmente, quando se apresentam grandes nomes do cenário nacional ou internacional, a entrada livre não vigora

19 abr/17

Michel Teló comanda musical que conta trajetória da música sertaneja

postado por Diogo Branco

Espetáculo "Bem Sertanejo, O Musical" acontece no Centro de Eventos do RibeirãoShopping, nos dias 2, 3 e 4 de junho.



A trajetória da música sertaneja será o enredo de mais um grande espetáculo que acontece no Centro de Eventos do RibeirãoShopping, administrado pela Virazóm. De 2 a 4 de junho, o público vai se emocionar com o show “Bem Sertanejo, O Musical”, comandado pelo cantor Michel Teló, que estará acompanhado por um grande elenco.

Para contar a história da música sertaneja, desde a sua origem caipira, na década de 10, até os dias atuais, o repertório terá uma coletânea de 56 sucessos de artistas consagrados. Entre eles, Tonico e Tinoco, Sérgio Reis, Almir Sater, Renato Teixeira, Chitãozinho e Xororó, Leandro e Leonardo, Zezé Di Camargo e Luciano e Gustavo Lima.

O musical traz na assinatura do texto e da direção o nome de Gustavo Gasparani e conta a trajetória e a formação da música caipira e da cultura interiorana, de forma poética e não cronológica. A peça propõe uma viagem pela memória e infância dos espectadores, resgatando as raízes culturais da plateia.

Michel Teló, que fará sua estreia como ator, é o protagonista do espetáculo, que tem o mesmo nome do quadro que foi exibido no programa “Fantástico” (Rede Globo). “Esse é outro mundo para mim. É muito novo ter texto para decorar, ter que interpretar um personagem, aprender as marcações diferentes, estar em cima do palco para um musical é diferente. Mas tem sido um desafio muito bacana”, afirma o artista.

O musical é apresentado pelo Ministério da Cultura, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, e pelo Circuito Cultural Bradesco Seguros, patrocinado pela Alelo e Raízen, apoiado pela Algar Telecom, Firestone, Comgás e  Momenta, e tendo a Avianca, como transportadora oficial e a Volkswagen Caminhões e ônibus como caminhão oficial.

Pontos de venda:
Bilheteria do Centro de Eventos e site do Ingresso Rápido
Informações: 16. 3620-2266

SERVIÇO
“Bem Sertanejo, O Musical”
Data: 2 e 3 de junho
Horário: 21 horas
Data: 4 de junho
Horário: 19 horas
Local: Centro de Eventos do RibeirãoShopping
Av. Cel. Fernando Ferreira Leite, 1540 - Jardim Califórnia, Ribeirão Preto/SP
Informações:  16.3620-2266

19 abr/17

Pabblo Vittar lança novo clipe

postado por Diogo Branco

A drag queem mais pop do Brasil não para de causar.
Hoje, a cantora lançou um clipe repleto de sensualidade, "K.O", onde interpreta uma boxeadora.

Assista:



18 abr/17

13 Reasons Why - Crítica

postado por Mateus Barbassa




" - Eu te amo e nunca vou te magoar. Eu não vou embora, nem agora, nem nunca. Eu te amo, Hannah.
- Mas por que você não disse isso quando eu estava viva?”


Gostaria de começar esse meu texto sobre a série “13 Reasons Why" da Netflix indo bem direto ao ponto. Comecei a assistir devido a enxurrada de textos que dominaram as redes sociais. No começo eram só elogios e aos poucos opiniões profissionais alertando dos perigos da série. Fiquei curioso e fui assistir. Confesso que os dois primeiros episódios não me pegaram tanto. Achei a direção um tanto quanto preguiçosa e depois que fui perceber que o diretor era o mesmo do filme “Spotlight” que eu odiei. Depois do segundo episódio a direção muda e eu comecei a gostar e me envolver com os personagens e história. Durante os episódios seguintes fiquei tentando entender tanto as críticas positivas quanto as negativas e meu pensamento ia sempre para uma outra direção. Explico. Não acho que o tema central seja suicídio ou depressão ou coisa parecida. Creio que a coisa é muito mais profunda que isso e pouca gente conseguiu captar por causa dessa polarização idiota de gostar ou não. Mas evitei falar sobre isso porque queria assistir aos episódios todos e só depois emitir uma opinião ou não.
 
Bom, no meu ponto de vista o tema central da série é a socialização masculina e suas conseqüências desastrosas na sociedade. Repare que todos, sim, eu disse todos os personagens são vítimas desse processo civilizatório. O que Hannah faz com suas fitas é trazer consciência de cada ato. Sim. De um jeito torto, adolescente, mas ela está tentando entender. E esse é o aspecto que mais gosto na série. Precisamos falar sobre isso. Homens e mulheres são educados de maneira diferentes, conflitantes até. A polícia de gênero vigia os corpos antes mesmo de eles nascerem. Toda educação, sonhos e futuro são definidos quando o médico diz o sexo dos bebês. É como se fosse um nefasto sistema de castas indiano. Nasceu homem e se manteve heterossexual? Toma aqui alguns inúmeros privilégios. Deu a infelicidade de nascer mulher? Vamos te constranger psicologicamente e te fazer submissa. Quase sem nenhuma possibilidade de sair fora ou se mover dentro desse sistema.
 

E o que a série nos apresenta é um estudo assustador dessa socialização masculina. A esmagadora maioria dos meninos retratados possui uma dormência emocional assustadora. Falta-lhes o essencial: empatia, compaixão. Mas não foram ensinados a ter. Não chore. Seja homem. Não demonstre sentimento, emoção. Seja homem. Pegue o máximo de meninas que conseguir, sem se importar com nada. Seja homem. E acima de tudo não seja um gay, não seja mulherzinha. E o que é ser gay ou mulherzinha nesse contexto? É ter sentimentos. É se importar com os sentimentos alheios. É nesse momento em que todos são vítimas e ao mesmo tempo algozes de si mesmo e uns dos outros. É preciso se vigiar. É preciso vigiar o amigo. Então, tome brincadeirinhas de gosto duvidoso. Elas servem de alertas. Olha aqui, se você ousar sair do esperado, vai se dar muito mal. Todos os personagens masculinos da série são extremamente solitários. Não dividem segredos. Não conversam sobre nada que não seja videogame, mulher, cerveja, sexo e esporte. São inábeis emocionalmente. Todos sofrem, mas não sabem como sair desse círculo vicioso.
 
Na outra ponta, temos as personagens femininas. Elas até querem ser amigas umas das outras, mas não conseguem. O estado de competição que são impostos a elas também cobra seu preço. Elas precisam disputar os meninos entre si. Você nunca se perguntou os motivos daquele garoto idiota sempre estar namorando uma garota muito mais interessante que ele? Garotos assim raramente ficam sem namorar. Repara! Mulheres são socializadas para serem mantenedoras da vida, das relações. Aceitam a submissão e perdem o seu melhor. É triste. Mas é assim.

"Tem que melhorar, a maneira que tratamos uns aos outros e olhamos uns pelos outros, de alguma forma temos que melhorar."
 

E correndo por fora. Temos os “outsiders”. Aqueles que são diferentes dos demais e que podem fazer a diferença no mundo. Na série são representados por Hannah e Clay. Esses são talvez os que mais sofrem. Porque representam tudo aquilo que incomoda os demais. Então, pagaram o preço também. Toda a história que acompanhamos é do ponto de vista desses dois personagens. Eles se gostam, mas não conseguem admitir o sentimento que nutrem um pelo outro. Clay é o típico adolescente nerd, intovertido, magro demais, sensível demais, inteligente demais, não faz nenhum esporte, não tem traquejo com as meninas.. Ele também sobre bullying dos outros garotos. E seu contato com Hannah é apenas superficial. Embora ambos queiram estreitar esses laços, não conseguem. Com a morte de Hannah, Clay se revolta contra tudo e todos e mergulha num processo destrutivo e necessário.



"Este armário é especial, ele era de uma garota que se matou. Estão vendo todos esses cartaz de "não se mate" nas paredes? Eles não estavam ali antes. Eles foram colocados porque ela se matou. E por que ela fez isso? Por que os jovens daqui a trataram feito merda, mas ninguém admite. Então pintaram os banheiros e fizeram um memorial, porque esta escola é assim. Todos são muito legais até que fazem você se matar. E cedo ou tarde, a verdade virá à tona. Ela vira à tona. Bem-vindos a escola Liberty."

Essa suposta ordem é brutal e representa uma visão de mundo machista e misógina que chamamos de Patriarcado. Um sistema que oprime, explora e objetifica mulheres. E é exatamente esse o conteúdo de todas as 13 fitas gravadas por Hannah. Ela não está depressiva. Ela não quer se suicidar. Ela só não aguenta mais conviver com tudo isso. Daí, que é preciso mudar um pouco o foco do nosso entendimento da série. Não é sobre vingança como vi muita gente escrevendo por ai. Ela não quer se vingar de nada. Ela quer entender os porquês disso tudo acontecer com ela. Ela não é uma sociopata (!!!!!) como também li algumas críticas. Ela é uma adolescente com toda uma vida pela frente que descobre cedo demais como o mundo pode ser cruel com mulheres que não se submetem aos seus desmandos. Hannah rompe com o silenciamento que é imposto às mulheres. Ela fala. Ela dá nome aos bois. Ela tenta. Mas infelizmente acaba por não encontrar saídas. Que sim existiam. Mas ela é uma adolescente. E essa fase tudo se amplia, se complica e parece que não existe uma outra possibilidade. Hannah não é uma suicida. Ela é alguém que foi esmagada em sua mais profunda sensibilidade. E suas treze fitas não é um acerto de contas. É um chamado para a conscientização. Precisamos disso. Precisamos colocar a boca no trombone e falar dos abusos que nos são impingidos. Fale! Fale! Fale! Por isso não acredito que a série romantize o suicídio. Mas de jeito nenhum. Reparem na jornada de Jéssica, outra personagem feminina da série, e vejam como é sobre isso também. Romper com o silenciamento. Elas são parecidas. Passaram por situações parecidas. E o final da personagem conversando com o seu pai sobre o estupro que ela sofreu é de arrepiar os pelos do corpo inteiro. Quem já passou por um abuso sexual sabe o quanto é complicado falar sobre isso com alguém. Medo. Vergonha. Nojo. Repulsa. Culpa. Muita culpa. Tudo isso passa pela cabeça da pessoa abusada. E falar sobre isso é um processo libertador. A jornada de Jéssica é exemplar nesse sentido. Justin também é outro personagem que passa por uma conscientização dolorosa. Ele é o menininho bonito da escola, aquele que todas as meninas querem exibir como troféu. No começo é só mais um babaca, mas pouco a pouco suas fichas vão caindo. A cena em que ele é expulso de casa pelo namorado machista da mãe, que o agride, humilha é o retrato fiel de quem ele se tornará se não mudar urgentemente de comportamento. E ele se vê ali. Vê toda a merda que poderá vir a seguir. Também vê sua mãe ali, submissa, imóvel, inábil, destruída emocionalmente, mas escolhendo aquele homem abusivo em detrimento do filho ainda adolescente. É chocante! Até mesmo Bryce (que não tem como defender suas ações) é um garoto a quem não foi dado nenhum limite. Menino rico, melhor esportista da escola, os pais dele estão sempre viajando e nunca aparecem na série. No fundo, é tudo sobre privilégios e consequências desse machismo em nossa sociedade.


"Sonhe grande, eles dizem. Mire alto. Depois eles nos trancam por 12 anos e dizem onde sentar, quando fazer xixi e o que pensar. Então fazemos 18 anos e, mesmo que nunca tenhamos pensado sozinhos, temos que tomar a decisão mais importante de nossas vidas."
 
Os pais retratados na série não fazem ideia de quem são seus filhos. Ou são omissos ou superprotetores. E tanto um quanto outro comportamento podem produzir filhos imaturos, dependentes, com baixa autoestima, ansiosos, depressivos. Os diretores, orientadores e professores da escola não possuem qualquer empatia com os adolescentes. São mundos paralelos que não se encontram jamais. Todos (adultos e adolescentes) parecem ter que dar conta de seus problemas sozinhos. Não há interação possível. Não há liberdade. Não há diálogo. Nada! É assustador! E o mais triste de tudo isso é a série se passar num ambiente escolar. Escola essa que deveria educar meninos e meninas para a liberdade, mas só repetem clichês, sem nenhuma possibilidade de mudança. Porque no fundo não há interesse de mudança. Durante todos os episódios me peguei pensando numa frase do Paulo Freire que define a série pra mim e com ela encerro meu texto:

”Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é tornar-se opressor”.





Mateus Barbassa é ator, diretor teatral e crítico de cinema

17 abr/17

Manu Gavassi lança novo álbum "Manu"

postado por Diogo Branco

Sucesso teen, Manu Gavassi lança seu novo CD, com nudez na capa. Assim como a capa, as músicas buscam mostrar o lado mais íntimo da cantora.




Este é o terceiro álbum de Manu Gavassi, cantora, compositora e atriz paulistana. Sucesso no Youtube e com o público teen, "Manu" tem como música de trabalho "Hipnose", que traz também outras composições como 23, Antes do Fim, Aqui Estamos Nós, Fora do Foco, Heat Song, Me Beija, Mentiras Bonitas, Muito Muito, Ninguém Vai Saber e Perigo.